Queda nas viagens ao exterior preocupa Banco Central

Posted on August 04, 2015

Os brasileiros estão fazendo menos viagens para o exterior. A constatação é de uma pesquisa realizada pelo Banco Central. Segundo a entidade, houve uma queda de 21% em viagens ao exterior entre janeiro e maio deste ano.

Banco Central

Divulgada na última segunda feira, 22 de junho, a pesquisa aponta que os brasileiros gastaram em voos para viagens ao exterior cerca de 8 bilhões de dólares. Esse valor é 21% a menos do que em 2014. O estudo também mostra que, no último mês de maio, as despesas em viagens ficaram em 1,414 bilhão de dólares com queda 42% em relação a maio do ano passado em que as despesas foram de 2,259 bilhões de dólares.

Também houve uma redução dos gastos em viagens neste mês. Os dados preliminares de junho mostram que, até o último dia 18, houve um gasto de cerca 1 bilhão de dólares em viagens ao exterior. O Banco Central projeta queda de 17% nos gastos em junho, em relação ao mesmo mês de 2014.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, a alta do dólar é o principal fator que influencia a redução dos gastos com voos para viagens internacionais. “Viagens internacionais são um item das contas externas muito sensível à taxa de câmbio. Um dos primeiros itens a responder à alta do dólar”, disse. Maciel acredita que outro fator para essa diminuição nos gastos é a queda na atividade econômica.

O Banco Central ainda estima que os estrangeiros irão gastar menos no Brasil este ano. Segundo a entidade, a receita de junho do ano passado tem grandes chances de ser maior do que a de 2015 graças a Copa do Mundo FIFA, que ocorreu entre junho e julho do ano passado.

O Banco Central espera que o déficit na conta de viagens internacionais, formado pelos gastos de brasileiros e receitas de estrangeiros, fique em 14,5 bilhões de dólares este ano. A projeção anterior era de 16 bilhões de dólares.

Banco Central

Azul anuncia compra e incorporação de novas aeronaves

Posted on December 15, 2014

Durante a semana passada a Azul Linhas Aéreas Brasileiras anunciou a compra de um novo modelo de avião que começa a ser incorporado à frota da companhia em 2016. O modelo das novas aeronaves são os Airbus A320neo.

Azul Linhas Aéreas Brasileiras

De acordo com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras a compra foi necessária uma vez que, a ideia é expandir as rotas de longa distância, assim como atender a grande demanda de clientes.

As novas aeronaves que farão trajetos de linhas aéreas domésticas e internacionais serão configuradas para receber até cento e setenta e quatro assentos. Os aviões fazem parte da geração de motores CFM Internacional – LEAP – 1A.

De acordo com informações oficiais da Azul Linhas Aéreas Brasileiras o acordo com a Airbus prevê a aquisição de 63 novos aviões. Destes, 35 serão adquiridos pela empresa e os outros 28 serão através de leasing com duas empresas a AerCap (vinte aeronaves) e GECAS (oito aeronaves).

O processo de incorporação das aeronaves à frota da Azul Linhas Aéreas Brasileiras se dará ao longo de sete anos.

David Neeleman, fundador e CEO da Azul Linhas Aéreas Brasileiras explica que a aquisição das novas aeronaves formarão o complemento ideal para os jatos Embraer e ATR que a companhia já possui.

O CEO ainda ponderou que a Azul Linhas Aéreas Brasileiras chegou a entrar em conversas com a fabricante Boeing, que possui aeronaves com as mesmas características, mas no momento, a empresa optou por fechar negócio com a Airbus.

Por apresentarem menores custos operacionais e maiores confortos os aviões da Airbus foram escolhidos. David Neeleman complementa que assim será possível operar todas as linhas aéreas com valores mais competitivos.

Outra característica das aeronaves A320neo é a possibilidade de gastar até 20% menos combustível por assento/Km em relação aos atuais modelos da operadora de linhas aéreas.

Antonoaldo Neves, presidente da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, complementa as palavras de David Neeleman e garante que a aquisição dessas novas aeronaves representam um passo importante para expandir a atual frota da companhia.

O presidente da terceira maior operadora de linhas aéreas do Brasil salientou ainda, que a frota da Azul será muito diversa. Contará com modelos de diferentes tipos de autonomia e operação. Desta forma, a empresa passará a atuar de maneira mais consistente tanto em mercados domésticos quanto em internacionais.

Azul Linhas Aéreas Brasileiras

Azul Linhas Aéreas pode ser a próxima companhia a fazer parte da Star Alliance

Posted on October 17, 2014

Azul  Linhas AéreasCom o aumento constante do número de voos operados a partir do Brasil, o país entra de forma definitiva no mapa da aviação civil mundial. De olho nesta nova realidade é que a Star Alliance pretende aumentar o total de companhias brasileiras presentes no grupo.

Segundo o CEO da Star Alliance – Mark Schwab – o mercado brasileiro é muito importante para a empresa. De acordo com os dados apresentados pela companhia, o país representa o quinto maior operador de voos domésticos do mundo e provavelmente irá subir de posição em breve.

A star Alliance vem aumentando suas parcerias na América Latina. Recentemente convidou a Avianca a fazer parte do grupo e agora é hora de chegar mais próximo do Brasil.

Mark Schwab explica que a Star Alliance está avaliando a entrada de outra companhia brasileira na empresa. Não há uma confirmação de qual seja, mas segundo avaliações positivas do mercado tudo indica que a Azul Linhas Aéreas seja a escolhida.

Além disso, escolher a Azul faz com que a Star Alliance esteja presente em um maior número de municípios brasileiros.

Recentemente, a companhia TAM saiu da Star Alliance devido à sua parceria com a chilena LAN. A partir daquele momento, a empresa brasileira passou a fazer parte da Oneworld.

O CEO avalia que deixar de contar com a presença da TAM foi uma lástima, mas avalia que a Azul Linhas Aéreas está em crescimento e, caso as previsões estejam certas a empresa paulista atingirá o mesmo patamar da TAM.

O objetivo principal da Star Alliance é estabelecer uma cobertura intensa nas linhas aéreas brasileiras. Atualmente é ela que possui a liderança nos voos operados pela América do Sul, tudo porque suas associadas – Avianca e Copa Airlines – possuem a grande fatia do mercado.

Azul  Linhas AéreasA Star Alliance também anuncia que está em negociações com o governo russo para a realização de novas parcerias por lá. Caso obtenha sucesso, o grupo passará ao oferecer cobertura mais eficaz em voos pela Europa, América do Norte, Ásia, África e América do Sul.

Segundo o executivo, o mercado asiático é o “mais fraco” para a companhia e, desta forma, não há previsões de expansão da Star Alliance em países como a China, por exemplo.

Azul Linhas Aéreas reformula programa de vantagens

Posted on June 04, 2014

Azul Linhas AéreasO programa de vantagens da Azul Linhas Aéreas Brasileiras traz consigo inovações com uma nova fórmula e recompensa com até cinco pontos para cada real gasto, com validade de até dois anos e sem restrições de uso.

As mudanças no Tudo Azul faz com que ao comprarem passagens aéreas, os Clientes cadastrados acumulam até cinco pontos para cada real gasto. O novo modelo do programa de fidelidade da empresa de linhas aéreas não garante descontos, mas sim o acúmulo de pontos que depois podem ser convertidos em passagens aéreas, que são disponíveis a partir de cinco mil pontos o trecho, sem restrições de uso, ou seja, todas as passagens aéreas disponíveis no website da companhia poderão ser adquiridas por meio de pontos, pesquisando com a opção Pontos Tudo Azul. Outra alteração é a validade dos pontos acumulados, que agora valem por dois e não mais um ano apenas.

Gianfranco Beting, diretor de Comunicação e Marca da Azul Linhas Aéreas comentou sobre as mudanças: “Após conversas frequentes com nossos Clientes, deixamos o programa mais vantajoso, tornando seu funcionamento e sua utilização ainda mais fácil e eficiente. A fim de atender às sugestões e pedidos de todos, facilitamos o acúmulo de pontos para aquisição de passagens e esperamos, com isso, que nossos Clientes continuem revisitando nossas aeronaves e recomendem a Azul para outras pessoas”, finalizou.

A Azul Linhas Aéreas foi criada e comandada por David Neeleman, norte-americano nascido no Brasil, que também foi o fundador da companhia JetBlue, dos Estados Unidos. O início das operações se deu em 15 de dezembro de 2008. A intenção inicial era de ter uma frota composta exclusivamente de Embraer E-Jets, e para tanto, encomendou 76 aeronaves, sendo 36 encomendas confirmadas e 40 com opção de compra e direito de compra. Porém, em 2009, sentindo a necessidade de atender cidades menores com voos de pequenas distâncias, encomendou aviões ATR-72, que entraram em operação a partir de 2010. Embora a empresa tenha sido criada como uma empresa de baixo custo (low cost), com passagens aéreas baratas, seus preços já não atendem exclusivamente a este setor do mercado. Com mais de três anos desde sua criação, a Azul Linhas Aéreas mudou o panorama da aviação comercial brasileira.

Azul Linhas Aéreas

Azul Linhas Aéreas promove nova ação

Posted on April 08, 2014

Azul Linhas AéreasA Azul Linhas Aéreas foi criada e comandada por David Neeleman. A intenção inicial era de ter uma frota composta exclusivamente de Embraer E-Jets, e para tanto, encomendou 76 aeronaves, sendo 36 encomendas confirmadas e 40 com opção de compra e direito de compra. Embora a empresa tenha sido criada como uma empresa de baixo custo (low cost), com passagens aéreas baratas, seus preços já não atendem exclusivamente a este setor do mercado. Com mais de três anos desde sua criação, a Azul Linhas Aéreas mudou o panorama da aviação comercial brasileira.

Em 28 de maio de 2012 foi anunciada a fusão da companhia com a TRIP Linhas Aéreas. Na prática, com o passar do tempo, a TRIP Linhas Aéreas deixará de existir, herdando a Azul todas as aeronaves e rotas da empresa. Juntas, Azul e Trip Linhas Aéreas somam 121 aeronaves, 840 voos diários, 100 destinos atendidos e aproximadamente 15% do mercado doméstico. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras estreia nova ação interativa no Facebook que premiará os voos em família dos Clientes Tudo Azul.

Azul Linhas AéreasPara participar da novidade, os interessados devem se cadastrar no programa Tudo Azul e fazer um post no Facebook de uma foto com suas crianças a bordo das aeronaves da Azul, ou interagindo de alguma forma com a marca Azul, utilizando a hashtag #FERIASAZUL e seu e-mail de cadastro no Tudo Azul. Até dia 31 de julho poderá postar suas fotos, que acumulam 500 pontos por foto. Ao acumular 5 mil pontos, já é possível fazer o resgate das passagens aéreas para vários destinos brasileiros.

“Com o novo Tudo Azul, Clientes têm muito mais opções e facilidades para resgatar passagens aéreas. Estamos comprometidos em trazer sempre as melhores vantagens para nossos Clientes e, por isso, promovemos essa ação interativa”, afirma Claudio Albejante, gerente de CRM e Internet da Azul. Em junho, a Azul reformulou o programa Tudo Azul e agora oferece ao seus membros mais uma opção para o acúmulo de pontos.

Azul Linhas Aéreas realizará workshop em parceria com a ABAV Piauí

Posted on November 20, 2013

Azul Linhas AéreasA Azul Linhas Aéreas juntamente com a ABAV Piauí irão realizar o Workshop Azul, na capital Teresina no dia 02 de Abril, às 18h30. O evento conta com o apoio do SEBRAE Piauí e será realizado no auditório da mesma instituição. A principal intenção do evento é que os agentes de viagem do estado conheçam as novidades da empresa de linhas aéreas. Será servido um delicioso café-da-manhã para todos os presentes no auditório do SEBRAE. Para participar do Workshop e concorrer ao sorteio de passagens aéreas que será feito durante o evento, é preciso confirmar a presença antecipadamente.

A Azul Linhas Aéreas passa por um novo momento e busca a melhor capacitação dos agentes de viagens, para que estes conheçam as novas possibilidades de venda de passagens aéreas para destinos Brasileiros, já que hoje em dia, a companhia de linhas aéreas opera voos para mais de 100 pontos do país.

A Azul Linhas Aéreas foi criada e comandada por David Neeleman, norte-americano nascido no Brasil, que também foi o fundador da companhia JetBlue, dos Estados Unidos. O início das operações se deu em 15 de dezembro de 2008. A intenção inicial era de ter uma frota composta exclusivamente de Embraer E-Jets, e para tanto, encomendou 76 aeronaves, sendo 36 encomendas confirmadas e 40 com opção de compra e direito de compra. Porém, em 2009, sentindo a necessidade de atender cidades menores com voos de pequenas distâncias, encomendou aviões ATR-72, que entraram em operação a partir de 2010. Embora a empresa tenha sido criada como uma empresa de baixo custo (low cost), com passagens aéreas baratas, seus preços já não atendem exclusivamente a este setor do mercado. Com mais de três anos desde sua criação, a Azul Linhas Aéreas mudou o panorama da aviação comercial brasileira.

Em 28 de maio de 2012 foi anunciada a fusão da companhia com a TRIP Linhas Aéreas. Na prática, com o passar do tempo, a TRIP Linhas Aéreas deixará de existir, herdando a Azul todas as aeronaves e rotas da empresa. Juntas, Azul e Trip Linhas Aéreas somam 121 aeronaves, 840 voos diários, 100 destinos atendidos e aproximadamente 15% do mercado doméstico. Hoje, com quase 10% de participação, consolida-se como a terceira maior companhia de linhas aéreas do País. A clara visão de negócio, traduzida no contínuo crescimento de sua frota, malha de destinos, linhas operadas e participação de mercado, faz da Azul uma realidade de notável sucesso. Neste período, a empresa atingiu recordes mundiais e conquistou alguns dos melhores índices do setor de aviação brasileira.

Azul Linhas Aéreas

ANAC sediou encontro internacional da OACI

Posted on October 11, 2012

ANACA ANAC sediou, entre os dias 9 e 13 de julho de 2012, no Rio de Janeiro, o 11º ADWG (Aerodrome Design Working Group) da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI). Durante a reunião, foram discutidas propostas de modificação de documentos da OACI relacionados a projeto e operação de aeródromos, em especial o Anexo 14 e o DOC 9157 (Aerodrome Design Manual), e o documento elaborado pelo Grupo de Estudos do PANS (Procedure for Air Navigation Services – Aerodrome). O Brasil apresentou novas propostas para documentos relacionados a sistemas de arrasto, acostamentos em pistas de pouso e decolagem de voos, faixas de pista, designação de pistas de táxi e RESA (runway end safety area).

A reunião contou com a participação de servidores da Superintendência de Infraestrutura Aeroportuária (SIA) da ANAC e teve a participação de representantes das Autoridades de Aviação Civil da Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido, — além de representantes das organizações ACI (Airports Council International), IFALPA (International Federation of Air Line Pilots’ Associations), ICCAIA (International Coordinating Council of Aerospace Industries Associations) e EASA (European Aviation Safety Agency).

A próxima reunião da ADWG será realizada em Montreal, em abril de 2013.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) é uma agência reguladora federal cuja responsabilidade é supervisionar a atividade de aviação civil no Brasil, tanto no que toca seus aspectos econômicos quanto no que diz respeito à segurança técnica do setor.

A substituição de órgãos diretamente ligados ao governo por uma autarquia, em 2005, visou a uma administração mais autônoma e técnica da aviação civil nacional, buscada por meio de descentralização administrativa e menor influência política direta. Muitos especialistas defenderam a medida argumentando que ela influenciaria positivamente o setor atraindo investimentos, dada a criação de um ambiente econômico propício devido à criação e manutenção de regras novas e estáveis.[1]

A Organização da Aviação Civil Internacional ou OACI, também conhecida por sua sigla em inglês, ICAO (International Civil Aviation Organization), é uma agência especializada das Nações Unidas criada em 1944 com 191 países-membros. Sua sede permanente fica na cidade de Montreal, Canadá. O Secretário-Geral da organização é o francês Raymond Benjamin, desde 1 de agosto de 2009.

Seus principais objetivos são o desenvolvimento dos princípios e técnicas de navegação aérea internacional e a organização e o progresso dos transportes aéreos, de modo a favorecer a segurança, a eficiência, a economia e o desenvolvimento dos serviços aéreos.Desenvolve também um trabalho importante no campo da assistência técnica, procurando organizar e dar maior eficiência aos serviços de infraestrutura aeronáutica nos países em desenvolvimento. Essa assistência é prestada por meio de equipes de especialistas, enviados aos diversos países para organizar e orientar a operação dos serviços técnicos indispensáveis à aviação civil, e de bolsas de estudo para cursos de especialização.

ANAC

X